Publicidade

terça-feira, 5 de julho de 2016 Poesia | 09:09

Comemorativo de 1 ano da Coluna: CASA VAZIA

Compartilhe: Twitter

solidao

Para comemorarmos 1 ano desta Coluna, hoje, excepcionalmente, migraremos da prosa para a poesia. Segue:

———————————————————–
CASA VAZIA*

 

Que os morcegos invadam que a casa é sua
que a sombra errante do medo
adentre e tome conta
e a solidão se espalhe
querendo nos fazer companhia.

 

Ingrata se instale
finque fundo no coração o dia-a-dia do não-retorno
e o pulsar do coração a se fazer medidor
sonolento contar dos dias.

 

O ar onírico nos perturbe os olhos
e ao fechá-los nos popule de imagens a mente
da casa que era coberta de alegria
de gente que era gente
como a gente queria que fosse eternamente.

 

Mas a desgraça do tempo andou
e tudo mudou
já chove nas ruas e a água a tudo inunda
mas mesmo assim
lá fora está mais seco do que dentro
da casa nua e crua
que por dentro chora
lacrimeja os que partiram
e inunda de saudades o coração.

 

Casa vazia,
são pedaços de nós dois que se partiram.

———————–

  • Do livro “Encruzilhadas em Contos e Poesia”, de minha autoria (coisa antiga).
Autor: Tags: